As Conchas

As conchas

De que são feitas as conchas?

As conchas, que servem de proteção para vários animais, principalmente os moluscos, são estruturas complexas formadas basicamente de carbonato de cálcio (CaCO3). Nos moluscos existem três substâncias que compõem a concha: a camada externa é formada por uma substância chamada de conchiolina, uma camada intermediária de calcita e uma camada de carbonato de cálcio.

O sangue dos moluscos é rico em uma forma líquida de cálcio. O cálcio é retirado não só da sua alimentação mas também absorvido diretamente da água do mar pela pele do animal.

O órgão que forma a concha é chamado de manto, um tecido delgado que fica em contato direto com a parte interna da concha. O manto concentra o cálcio em áreas onde pode ser separado do sangue, formando cristais de carbonato de cálcio que secretados junto a uma matriz orgânica vão formando lentamente a concha.

A concha é um órgão rígido, muitas vezes externo, característico dos moluscos. A morfologia da concha é uma das características usadas para classificar estes animais:

  • Os bivalves, como o nome indica, têm uma concha formada por duas peças;
  • Os gastrópodes, como os caracóis, têm geralmente uma concha assimétrica, muitas vezes enrolada em espiral; mas as lesmas podem ter um rudimento de concha interior;
  • Os cefalópodes, como o choco, têm uma concha interna, mas o náutilo possui uma concha exterior.

As conchas são formadas por nácar, uma mistura orgânica de camadas de conchiolina (uma escleroproteína), seguida de uma capa intermédia de calcite ou aragonite, e por último uma camada de carbonato de cálcio (CaCO3) cristalizado.

O nácar é secretado por células ectodérmicas do manto de certas espécies de moluscos. O sangue dos moluscos é rico em uma forma líquida de cálcio, que se concentra fora do fluxo sanguíneo e se cristaliza como carbonato de cálcio. Os cristais individuais de cada camada diferem na sua forma e orientação. O nácar deposita-se de forma contínua na superfície interna da concha do animal (a capa nacarada iridescente, também conhecida como madrepérola). Estes processos proporcionam ao molusco um meio para alisar a própria concha e mecanismos de defesa contra organismos parasitas e dejectos prejudiciais.

Quando um molusco é invadido por um parasita ou é incomodado por um objecto estranho que o animal não pode expulsar, entra em acção um processo conhecido como enquistação, pelo meio do qual a entidade ofensiva é envolta, de forma progressiva, por camadas concêntricas de nácar. Com o tempo formam-se pérolas. A enquistação mantém-se até que o molusco morra.

As conchas são muito duradouras: duram mais tempo que os animais de corpo mole que as produzem. Em lugares onde se acumulam grandes quantidades de conchas formam-se sedimentos que podem converter-se, por compressão, em calcário.

2 Respostas

  1. Frederico disse:

    Muito interessante!Otima curiosidade pra ser usada numa aulade quimica!
    Um abraco!

  2. VIRGINIA E INGRID disse:

    EU AMO CONCHAS

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.