As batidas do coração durante a morte

capa_coracao

John Deering se submeteu a um experimento, sendo voluntário, no qual teria seus batimentos cardíacos gravados. O médico deste tal experimento é o Dr. Stephen Basley, que em 1938 revolveu colocar em prática e desvendar os mistérios sobre o coração.

Deering, tragou seu cigarro e sentou-se na cadeira deixando assim o Dr. Besley o “vigiasse” enquanto um guarda colocasse um capuz negro sobre sua cabeça e pregasse um alvo em seu peito em seguida o guarda prendeu eletrodos em seus pulsos.

O eletrocardiograma mostrou que, apesar da aparente calma, o coração de Deering batia muito acelerado com 120 batidas por minuto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando o xerife deu a ordem para que atirassem o coração de Deering subiu para 180 batidas por minuto.

Uma das quatro balas perfurou o lado direito de seu coração.

Por quatro segundos o órgão teve espasmos seguidos de diversos espasmos e então o ritmo caiu gradualmente até que, 15.4 segundos…. Parou.

No dia seguinte o Dr. Besley descreveu a experiência à imprensa: “Ele parecia calmo, mas o eletrocardiograma mostrou que sua aparente placidez escondia as verdadeiras emoções dentro dele. Ele estava morto de medo”.

 

4 Respostas

  1. Franciele disse:

    que loucoooo… muito legal a pessoa morrer de medo.

  2. Sabo pessoa disse:

    Eu não tenho a certeza de que isso é real .

  3. DinhoGja disse:

    .
    tbm duvido um pouco disso…

    mas se for real, o cara é mto loco dar a vida assim… otario msm

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.