Curiosidades sobre o sexo

sobresexo

Umbigo: Para os povos do arquipélago de Samoa (Pacífico Sul), é a parte mais excitante do corpo; não à toa, vive sempre coberto, embora o corpo permaneça quase nu. Já nas ilhas Célebes (Indonésia), o tesão está no joelho.

Banguelas: Entre os Nilotes (leste da África), quando chegam à puberdade, os meninos arrancam pelo menos dois dentes incisivos para ficar mais atraentes.

Fofas: Em Calabar (Nigéria) e nas ilhas Marquesas (Taiti), as mulheres obesas são as mais desejadas. As adolescentes ficam meses em “cabanas de engorda” para ganhar peso antes de serem oferecidas pela família para casamento.

Tudo menos isso: Os esquimós das tribos Copper e Netsilik oferecem as mulheres como sinal de hospitalidade. Já entre os Akhvakh, que vivem no sul da Rússia, o convidado “recebe” uma adolescente, com quem pode fazer todos os jogos sexuais, desde que o hímen permaneça intacto.

Feito a mão: Entre os antigos cossacos (da Ucrânia), Sakha (Sibéria) e Hopei (China), era costume os pais masturbarem os filhos para acalmá-los.

Velocidade: Durante a ejaculação, o esperma viaja a uma velocidade de mais de 10 km/h e sai a uma temperatura de 36 graus, os batimentos cardíacos podem ser de até 150 por minuto.

A sogra tá de olho: Em Cali, na Colômbia, uma mulher só pode ter relações com seu marido, e a primeira vez que isso ocorre, sua mãe deve estar no quarto para testemunhar o ato.

Em apenas dez ejaculações o homem produz espermatozóides suficientes para povoar o mundo inteiro.

A hora da loba: embora as mulheres fiquem 30% mais ativas sexualmente durante a lua cheia e as americanas prefiram fazer amor às 23 horas, o estrógeno e a testosterona atingem seu pico ao cair da tarde.

Fuck: Antigamente, na Inglaterra, não se podia fazer sexo sem o consentimento do Rei (a não ser que se tratasse de um membro da família real). Quando queriam fazer amor, tinham que pedir para o monarca, que lhes entregava uma placa, que deviam colocar na frente da porta de seu quarto enquanto tivessem relações. A placa dizia “Fornification Under Consent of the King”. Essa é a origem da palavra “fuck”.

Oi! Gente! Um homem da tribo dos Walibri cumprimenta um outro com o pênis e não com as mãos.

Cultura sexual: a maioria das mulheres orgásmicas não chega ao clímax por meio de penetração.

Mais de três quartos de todos os homens que assinam revistas gays são casados e pais de família.

Duro na queda : os aborígenes do deserto Kalahari tem o pênis semi-ereto o tempo todo.

Os extremos: de acordo com o Kinsey Institute, o maior pênis ereto mede 35,75 cm e o menor, 4,81 cm.

Fontes: Forum Igloo e Portal GV

8 Respostas

  1. Abraão disse:
    Por favor, me arrumem uma passagem de ida e volta para Akhvakh no sul da Rússia…quero aproveitar essa…abraços
  2. addans disse:
    intaun arruma mais uma pra mim tb
    quero ir pro sul da russia
    mais pra mim soh de ida tava bom
  3. Simone disse:
    “Fornification Under Consent of the King”, kkkkkkk é pra acabar, pior q isso só a mãe assistindo, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
  4. andre vieira disse:
    minha prox viajem sera a Akhvakh no sul da Rússia vai ter plaquinha “Fornification Under Consent of the King”, e a sógra olhando …
  5. Evandro disse:
    Por favor, arraem uma namorada para o Abraão e o Addans, que pelo jeito nunca tiveram uma…. abraços….kkkk
  6. lucelia disse:
    que coisas cabulosas… eu to de cara…

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.