Algumas palavras usadas pela igreja e seus significados

palavrasigreja
  • Adorar

Ato com que se atesta a excelência de alguém e diante de quem se prostra em piedosa submissão.
Em sentido mais estrito, significa o gesto com que se reconhece Deus como princípio e fim, e Senhor soberano de todas as coisas.

  • Ágape

O termo vem do grego: agápe, que significa amor. Com o sentido de banquete, foi usado pelo cristãos, nos quatro primeiros séculos, comemorando a ceia de Cristo.
Atualmente, a palavra ágape é empregada para significar a santa comunhão, o banquete eucarístico.

  • Alamar

Termo empregado para designar a presilha que mantém atada a capa de asperges.
Também significa o torçal que une a estola sacerdotal sobre o peito do que dela faz uso.

  • Álapa

Uma leve tapa na face do confirmando, por ocasião da administração da crisma. Historiadores eclesiásticos dizem que, a princípio, o Bispo dava um beijo no rosto do crismando. Posteriormente, o ósculo foi substituído por uma suave bofetada para significar a intrepidez da fé.

  • Aleluia

Aclamação litúrgica, tirada do hebreu, que significa “louvai o Senhor”. É frequente nos salmos. Na liturgia, é empregada como expressão de alegria e louvor. Não é usada na Quaresma, mas é muito frequente no Tempo Pascal.

  • Alfa e ômega

Primeira e última letra do alfabeto grego, respectivamente. São usadas na Bíblia para designar Jesus Cristo como o começo e o fim de tudo.
Na liturgia da Vigília Pascal emprega-se esta imagem na bênção do círio pascal.

  • Altar

Ara ou pedra destinada aos sacrifícios. Para os cristãos é, além disso, mesa para o banquete comunitário. O altar fica no presbitério e deve ser o centro da atenção. O altar representa o Cristo. É por essa razão que lhe é prestada honra (beijo, incenso…) e que não se pode colocar sobre ele um objeto qualquer.

  • Alva

Em latim, significa “branca”. É uma vestimenta litúrgica, utilizada pelos bispos, presbíteros, diáconos e outros ministros, em forma de túnica branca, que cobre desde o pescoço até perto do calcanhar. Alva significa limpeza.

  • Ambão

Vem do verbo grego “anabainer” que quer dizer: subir. No caso, é a estante, situada em local de destaque, onde são efetuadas as leituras, na liturgia da palavra, e realizada a pregação. Ao final da idade média, o ambão evoluiu para o púlpito, usado pelos pregadores, e localizado sempre do lado onde se proclama o evangelho.

  • Âmbula

Cálice com tampa com a finalidade de conservar e distribuir as partículas consagradas. Enquanto contém o Santíssimo, costuma ser coberta com um tecido conhecido como “véu de âmbula”. Na Idade Média sua forma era de uma pequena caixa. O modelo redondo surgiu no século XVI. Seus outros nomes são: píxide e cibório

Amém

Palavra hebraica que expressa a confirmação do que foi dito, e que pode ser traduzida popularmente por: assim seja.
Compete à comunidade de fé responder, com ele, às orações de quem as dirige, manifestando, assim, sua união espiritual ao seu conteúdo de fé e aos celebrantes. O termo amém pode significar também: eu creio.

Amito

É a primeira das vestes litúrgicas internas. Trata-se de um pano branco, pequeno, quadrangular, que o sacerdote católico põe sobre os ombros e ao redor do pescoço, antes de vestir a alva. É uma peça de origem egípcia, que São Bento trouxe para os monges de sua ordem.

Ângelus

Toque das Ave-Marias pela manhã, ao meio-dia e à tarde, com suas respectivas orações.
Sua origem se deve ao franciscano São Boaventura, com a finalidade de cultuar o mistério da Incarnação do Verbo e honrar a Santíssima Virgem. O Papa Bento XIV prescreveu a antífona Regina Coeli em substituição ao Ângelus, no tempo pascal.

Ano Litúrgico

O ano litúrgico é formado por três ciclos: o do Natal, o Pascal e o Tempo Comum (este com dois períodos). Ao longo dessas três etapas se desdobra o mistério de Cristo: seu nascimento, sua vida pública, sua paixão, morte e ressurreição.
(Fonte: Livro da Família/2003)

Assunsão do Senhor

Segundo o Dicionário Aurélio, a Ascensão do Senhor significa “festa eclesiástica, comemorativa da glorificação de Cristo logo após a morte, representada, especialmente, como subida aos céus”.
É uma festa móvel, no calendário cristão, que acontece 40 dias após o Domingo de Páscoa.

Ave Maria

Oração com que os cristãos veneram a Santíssima Virgem. Primeiramente, compunha-se das palavras do Arcanjo e de Santa Isabel: “Ave Maria, cheia de graça…” Posteriormente, acrescentou-se a segunda parte: “Santa Maria mãe de Deus…” de origem franciscana.

Ázimo

É o pão não fermentado, prescrito para a consagração das hóstias na igreja ocidental. Provavelmente a partir do século VIII todos os ritos se servem dele.
O direito canônico permite que os fiéis recebam a eucaristia em qualquer rito. O uso do pão ázimo remonta à páscoa dos judeus.

Cadeias de Pedro

Festa em honra das cadeias com que São Pedro esteve preso, em Jerusalém e em Roma.
Conforme a tradição, as duas uniram-se numa só, quando postas em contato na ocasião em que a filha do Imperador Teodósio ofereceu a de Jerusalém ao Papa. Assim são conservadas até hoje.

Calendário eclesiástico

Do verbo grego Kalein (publicar), o termo calendário significava, na antiguidade, a publicação, no primeiro dia de cada mês, das festas a celebrar. Mais tarde, os cristãos adotaram o “calendário” para o catálogo das festas litúrgicas da Igreja Católica. Chama-se também calendário romano.

Cálice

Vaso sagrado que abriga o vinho, que, após a consagração, torna-se no Sangue de Cristo. Este vaso já era utilizado na celebração da Páscoa judáica. Por isso, ao instituir a Eucaristia, durante a celebração da Última Ceia, com seus apóstolos, Jesus tomou “um cálice…”
Fonte: Dicionário da Missa,Itamar de Souza

Campainha

Pequeno instrumento de percussão, feito de metal, que o acólito toca antes da consagração do pão e do vinho, chamando a atenção da assembléia para aquele momento. Às vezes, em algumas igrejas, é tocada a campainha durante a elevação da hóstia e do cálice.
Fonte: Dicionário da Missa, do Prof. Itamar de Souza

Capelão

Sacerdote encarregado de atender uma capela ou um grupo de fiéis, normalmente menor que uma paróquia, como por exemplo, um colégio, uma universidade, uma corporação militar.

Caráter Sacramental

É o sinal espiritual e indelével, impresso na alma com a recepção dos Sacramentos do batismo, da crisma e da ordem, em virtude do que tais Sacramentos não podem ser recebidos mais de uma vez. Quem é batizado, crismado ou ordenado e se torna infiel à graça, pode recobrá-la com a penitência sem de novo o mesmo Sacramento.

Cardeal

Termo que vem do latim: cardinalis, que, por sua vez, vem de cardo que significa: eixo.
O cardeal faz parte de um colégio que forma o senado do Papa, e lhe assiste no governo da Igreja.
Cardeal é um eixo que une.

Carrilhão

Conjunto de sinos de diversos tamanhos e afinados com precisão, o que permite a execução de melodias.
O carrilhão é tocado manualmente ou através de um mecanismo eletro-eletrônico. Foi inventado em Flandres, na Holanda, e hoje se encontra nas torres de diversas igrejas do mundo.

Catedral

É a Igreja mãe e sede de uma Diocese ou Arquidiocese. Nela, o Bispo ou Arcebispo exerce o seu Magistério Episcopal, a sua função ministerial de ensinar a reta doutrina cristã. Na Catedral, a cadeira onde o Bispo se senta, na presidência das celebrações litúrgica, é chamada de Cátedra. Daí, o nome Catedral.

Cíngulo

É de origem romana e funciona como peça complementar da túnica. Na Idade Média, era feito de linho, em formato de uma faixa com seis ou sete centímetros de largura. O uso do Cíngulo, em forma de cordão, generalizou-se depois do século XV.

Cinzas

A cinza usada na quarta-feira que dá início à Quaresma é feita com a queima dos ramos bentos, no Domingo de Ramos. É guardada de um ano para outro e colocada sobre a cabeça dos fiéis, na celebração da Quarta-feira de Cinzas. Na ocasião, o celebrante lembra a passagem bíblica: “Tu és pó e ao pó tonarás” (Gn 3, 19).

Círio Pascal

Vela de cera, de maiores proporções, benta no sábado de aleluia, que representa o Cristo ressuscitado e a coluna de fogo que precedia o povo de Israel através do deserto.
Cinco grãos de incenso lhe são encravados, e simbolizam as chagas contidas no corpo glorioso de cristo.

Colação

Pequena refeição que nos dias de jejum era permitido se tomar. À tarde. O costume foi introduzido nos mosteiros, a partir do VI século. Tal refeição era tomada enquanto se fazia uma leitura das obras dos Santos Padres, no período quaresmal.

Confessor

Um termo como várias significações:
a) durante o tempo das perseguições, era sinônimo de mártir;
b) posteriormente, um santo que confessou sua fé em Cristo com virtudes heróicas;
c) sacerdote com jurisdição para ouvir a confissão sacramental dos fiéis.

Confraria

Associação pia que promove a vida cristã, aprovada pela autoridade eclesiástica.
Distinguem-se três espécies:
– Pia-União (sem constituição orgânica);
– Sodalício (organicamente constituída);
– Confraternidade (que promove o culto público). Sua expansão maior data do séc. XVI.

Cômputo

É o complicado cálculo que os liturgistas fazem para organizar o calendário litúrgico. Sua dificuldade resulta da diferença de 11 dias que existe entre o ano solar do qual dependem os meses, semanas e festas fixas em determinado dia, e o ano lunar que regula a páscoa e as festas móveis.

Cores Litúrgicas

Para cada tempo litúrgico é usada uma cor, que aparece nos paramentos dos celebrantes, nos panos do altar, na cortina do Sacrário etc. Cada uma tem seu significado. O uso das cores está definido nas normas das Instruções Gerais sobre o Missal Romano (nºs 308 e 309).
O verde – é a cor da esperança, usada nos ofícios e missas do tempo comum, que se celebra agora.
Branco – simboliza a vitória, a paz, a alma pura, a alegria. É usado nos ofícios e missas do tempo pascal e do natal; nas festas e memórias do Senhor, exceto as da Paixão; nas festas e memória da Virgem Maria, dos Santos Anjos, dos Santos não mártires, de Todos os Santos, São João Batista, São João Evangelista, Cátedra de São Pedro e conversão de São Paulo.
Vermelho – simboliza o fogo, o sangue, o amor divino, o martírio. É usado no domingo de Ramos, na sexta-feira santa, no Pentecostes, na Paixão do Senhor, nas festas dos Apóstolos, Evangelistas e Santos Mártires.
Roxo – simboliza a penitência. É usado no advento e na quaresma. Pode ser usado, também, nos ofícios e missas pelos mortos.

Credência

Pequena mesa, colocada nas proximidades do altar, sobre a qual se coloca objetos que vão ser utilizados durante a celebração, especialmente no momento do ofertório, como por exemplo: o pão, o vinho, o cálice, a patena, a água etc.

Cripta

Recinto subterrâneo, geralmente por baixo do presbitério da igreja, onde se colocam sarcófagos com corpos de santos, e se sepultam pessoas de distinção (como os bispos). Na cripta também se celebra a eucaristia. Suas formas arquitetônicas se desenvolveram a partir do século IX. São mais freqüentes nas igrejas de estilo romano.

Crucifixo

É uma cruz com o corpo de Nosso Senhor. A mais antiga representação existente da crucificação data do século V.
Depois de Gregório Magno, apresentava-se Jesus vivo na cruz, como vencedor. No IX século, o Senhor era representado como rei, interpretando as palavras da Escritura: “Dizei às nações que o Senhor reinou”… (Sl 95)

Cruz

Patíbulo sobre o qual Jesus morreu. Não se deve admirar que nos primeiros séculos a cruz não se encontrasse como símbolo da liturgia, a não ser veladamente (crux dissimulata), somente inteligível aos cristãos: era considerada sinal de vergonha e humilhação para pagãos e judeus…

Culto das Relíquias

Baseia-se na colaboração do corpo nas obras de virtude e no dogma da futura ressurreição, e, por isso, é tão antigo quanto a própria Igreja. De início, limitava-se às relíquias dos mártires: o seu sangue era guardado como lembrança preciosa. A partir do IV século, a veneração das relíquias se estendeu às dos santos, em geral.
Culto de Latrão

É o culto prestado somente a Deus e que se manifesta principalmente no reconhecimento de Deus como supremo senhor. É ato de adoração. Compete também à humanidade de Cristo, inseparavelmente, à segunda pessoa da Santíssima Trindade. A sagrada eucaristia também recebe o Culto de Latria em virtude da presença real de Cristo.

17 Respostas

  1. regina disse:

    jeova e o nome de deus e as igrejas se recusa em pronunciar.porque?

  2. Joao Pedro disse:

    O site é muito bom e interessante, pena que perde M U I T A credibilidade com os milhares de erros de português e a falta de referência, no final as “notícias” parecem
    conclusões pessoais de um amador! Por pouco o site poderia
    passar confiança aos leitores, no mais…parabéns pelo dinamismo.

  3. Willian Rochadel disse:

    Bom Regina, sobre a sua Questão, acontece que: na realidade Jeová bem de YHVH que se pronuncia aproximadamente desta forma.
    Acontece também que na para nós o nome mais comum é Senhor (Adonai) e existe também senhor (referenciado a pessoas mais velhas – Adon).

  4. Willian Rochadel disse:

    Bom Regina, sobre a sua Questão, acontece que: na realidade Jeová vem de YHVH que se pronuncia aproximadamente desta forma.
    Acontece também que para nós o nome mais comum é Senhor (Adonai) e existe também senhor (referenciado à pessoas mais velhas – Adon).

  5. ivan disse:

    Gostaria de parabenizá-los pela iniciativa de colocarem explicações no tocante à Etimologia, assunto que me toca muito.
    Um abraço,
    Ivan

  6. Goreth disse:

    Não me importa qual nome seja o do SENHOR, para mim o q importa é q ele vive em mim.Pq sou templo do Senhor.Viveremos em constante guerra se nos preocuparmos com a defesa de religiões. Deus está onde permitirmos q ele esteja pq ele nos respeita e nos ama muito, por isso nos deixa livres para decidirmos se queremso ou não a salvação.Ele diz: onde dois ou mais estão reunidos em meu nome, Eu alí estarei.Então isso é o importa viver no Senhor, amar os irmãos. Um abraço a todos e fiquem na paz de Deus.

  7. mpps disse:

    Oh minha Santa Bárbara! Que livras aquele que está desesperado e angustiado, me ajude nesse momento de dor e desespero. Sei o quanto vós és poderosa e forte. Sois mais forte que a violência dos furacões e o poder das fortalezas! Assim como tem força pra livrar a tempestade, assim eu te peço minha Santa Bárbara, Fica sempre ao meu lado, faças com que (DARIO) ME AME (MPPS)e fique comigo para sempre. Faças com que ele me ligue, me procure e me ame. Não agüento mais de tanto desespero e angustia. Sei que não tenho forças nem o poder de conquistar essa graça sozinha. Por isso, eu te imploro humildemente minha Santa Bárbara, me ajude nesse momento de tanta dor e tanto sofrimento. Ajude-me alcançar essa graça, para poder aumentar minha fé, ter a consciência de quanto és poderosa e milagrosa, e poder te adorar pra sempre. Interceda a Deus Pai, ao seu filho Jesus Cristo e ao Espírito Santo em meu favor, minha Santa Bárbara! Eu sei que podes fazer isso! Traga (DARIO) de volta e para !perto de mim(MPPS) para sempre.Livre-ME desse sofrimento, para que a cada vez que essa oração for lida por alguém desesperado, angustiado e aflito, mais forte ela se tornará. Por isso vou mandá-la para os quatro cantos do mundo, pedindo minha Santa Bárbara, PARA QUE ME CONCEDAS ESSA GRAÇA! TRAGA (DARIO) DE VOLTA PARA MIM(MPPS) URGENTE. COM AS FORÇAS E SEUS PODERES MINHA SANTA BÁRBARA EU VOU CONSEGUIR E ALCANÇAR ESSA GRAÇA, ESSA BENÇÃO.AMÉM! Em seguida, rezar um Pai Nosso, três Ave Maria, uma Salve-Rainha e um CredO

  8. patricia disse:

    meu deus que saite e esse que todo mundo e burro

  9. nancy disse:

    Gostaria da explicação da palavra paróquia o que abrange como explicar o que é paróquia?

  10. REINALDO MENESES disse:

    Boa noite irmãos, eu gostaria de saber quando começor a aclamar o Evangelho na História da igreja, com a aclamação aleluia antes do Evangelho, se alguém poder me informar ficarei muito grato. desde já agradeço

  11. vilson lazarini disse:

    Regina na verdade o nome do Eterno não é Jeova, e o do Filho tambem
    não é Jesus, pois no Hebraico nem siquer existe a consoante J são
    dogmas da Igreja Catolica Romana, filho que não conhece o nome
    do Pai é porque não é filho, e as igrejas tem uma boa razão para
    não invocar O NOME JEOVA, e do FILHO DELE JESUS.

  12. José Adilson disse:

    Jeova é o nome grego de Deus, foi derivado do do aramaico yhwh, que significa: EU SOU O QUE SOU. Por ser impronuciável, os estudiosos gregos acrescentaram as vogais usando a linguagem, alfabeto grego, que passou para jeová. Assim como Deus em inglês é God. No entanto, a bíblia nos diz que Jesus Cristo é o Senhor, e que todo joelho se dobrará diante dele, e toda língua o confessará como Senhor. Jesus morreu na cruz por nós e todo poder e autoridade foi dado a este nome. Se o confessares como Senhor e Salvador serás salva.

  13. JOSÉ ANDRADE disse:

    Ágape

    “O termo vem do grego: agápe, que significa amor. Com o sentido de banquete, foi usado pelo cristãos, nos quatro primeiros séculos, comemorando a ceia de Cristo.
    Atualmente, a palavra ágape é empregada para significar a santa comunhão, o banquete eucarístico”.

    Oh, meus queridos; pediria um grande favor; não opinem em Sites ditos “cristãos” sem ter amparo bíblico. Dizer que Ágape é “banquete eucarístico” é acima de tudo uma blasfêmia, coisa inventada por “doutrina” fora da Bíblia. Pois é um tipo tão elevado de amor, que nem um mortal é capaz de, sequer emitá-lo: Existem tres tipos de amor, quais sejam: Eros = amor erótico, Filus = Amor entre irmãos e Ágape, que foi o amor que Deus teve e tem por nós, a ponto de dar seu filho amado para morrer por amor aos seus inimigos, e isso nada tem a ver com dogmas, costumes, tradições, etc. Por mais profundo que seja. Ágape é pis o amor de Deus, incondicional, sem esperar nada em troca. Seria alguém, depois de participar da “eucatistia” capaz de praticar o Ágape?

  14. JOSÉ disse:

    A palavra jeová só se encontra uma vez na bíblia e é decorrente de uma tradução errada do nome javé.

  15. Ana disse:

    Faltou falar sobre o sacrario, mais fora a isso muito bom e me ajudou muito no trabalho de crisma. Obrigada.

  16. Amarildo disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk Putz errou feio o ágape

  17. DinhoGja disse:

    .
    Oloko, de onde vc tirou esse Ágape ai? aheuahuehauehau
    Ágape sempre soube que é amor incondicional, nada mais……

    abs
    😉

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.