Mantenha as crianças protegidas na internet

Crianças-capa

As crianças estão correndo diversos riscos na Internet, mas muitos pais não estão percebendo isso. A seguir, veja algumas sugestões para proteger as crianças dos perigos da Internet:

Antes de tudo, é preciso que seu filho(ou filha) compreenda que, assim como você não o deixa ir sozinhoa qualquer lugar, para a própria segurança dele, ele também precisa lhe dizer quais os sites que anda visitando na Internet. Isso porque, explique, assim como existem perigos no mundo real, os perigos também estão presentes no mundo virtual e, por falta de experiência, uma criança dificilmente percebe o risco que está correndo em certas situações na Internet. Ela pode até gostar de acessar determinadas páginas da web, mas, às vezes, são justamente essas páginas que mais perigo oferecem a uma criança.

Os sites das redes sociais e fóruns como o Orkut e Facebook, por exemplo, estipulam idade limite para seus usuários se registrarem, mas os pais devem orientar seus filhos, para que estes limites sejam respeitados e explicar claramente por quê. As crianças que já fazem parte dessas redes devem saber que a maioria das pessoas afirma que nunca adicionam como amigos pessoas que não conhecem no mundo real. Essa deve ser uma regra adotada para todas as crianças que usam o computador ou smartphones.

Os programas de mensagens instantâneas também devem estar incluídos nesta norma. Não é inteligente nem prudente adicionar alguém, só porque recebeu um convite dessa pessoa. Ela pode ser um(a) criminoso(a), um(a)tarado(a) sexual ou outro tipo de mau caráter qualquer, que depois, com certeza, vai trazer muitos e graves problemas para a criança.

Explique tudo isso, francamente, aos seus filhos. Não subestime a inteligência de uma criança. Elas obedecem mais facilmente quando compreendem as razões dos seus pais.

Vigiar o perfil do seu filho no Facebook também é importante. Outra opção é instalar um software que controle ou grave o que a criança faz durante o tempo que passa online (ao final deste artigo, damos orientações para fazer isto). Para não criar um clima de desconfiança entre pais e filhos, é importante que a criança saiba disso e também que essa vigilância é para protegê-la e orientá-la e não para invadir sua privacidade. Não é aconselhável que menores de idade tenham um computador no quarto ou em algum lugar onde possam trancar a porta.

O Windows possui o “Controle dos Pais” (Parental Control), que é uma opção de controle que monitora e bloqueia várias possibilidades do computador, como horários, sites, jogos e programas. Outros programas podem também ser baixados separadamente. No entanto, é preciso ter em mente que nenhuma destas alternativas substitui uma conversa franca e inteligente com seus filhos sobre os riscos de se expor na Internet. Explique que você mesmo, embora seja adulto, tem esses cuidados. E é necessário reforçar a conversa de vez em quando. Dialogue, numa boa, sem constrangimentos hipócritas, sobre as perigosas consequências que podem ocorrer, se eles fizerem vídeos ou tirarem fotos de si mesmos nus e colocarem na Internet ou no celular. Mostre exemplos da mídia daquilo que pode acontecer em tais casos. Pergunte o que acham que aconteceria se uma foto destas fosse compartilhada entre todos seus amigos da escola e como seria impossível fazê-la desaparecer da rede.

Nunca é demais repetir que o mais importante é manter um clima de confiança e diálogo permanente com os filhos, de tal forma que eles percebam que estão sendo protegidos e ensinados e não perseguidos e censurados. Tenha sempre uma conversa adulta com eles. Crianças e jovens gostam de ser tratados como adultos, porque, assim, eles se sentem valorizados e respeitados pelos pais. Nada de ameaças, castigos, autoritarismo, gritos e muito menos surras, porque essas coisas só servem para piorar qualquer tipo de relacionamento. Tenha sempre em mente a Regra de Ouro: “Trate os outros da mesma forma como gostaria que os outros tratassem você”

10 SUGESTÕES PARA PROTEGER AS CRIANÇAS NA INTERNET

1 – Instale o PC num lugar onde ele esteja sempre à vista.

Evite colocar o PC no quarto das crianças, porque isto lhes permitirá ocultar suas atividades na Internet. Prefira um lugar central, como uma sala ou um quarto onde você possa entrar a qualquer momento.

2 – Tenha um antivírus atualizado.

Nenhum computador está livre de um ataque de pragas informáticas e, por isto, um bom antivírus é indispensável. Para instalar um antivírus gratuito, vá ao site da Grisoft e clique no link “Download AVG Free 8.0 (AVG server)”. Salve o arquivo e instale-o sempre clicando em Next. A cada vez que ligar seu computador e se conectar à Internet, o AVG antivírus será atualizado de forma automática. Você pode também optar por outros bons antivírus, como o Avast!, o Kaspersky ou o Avira, por exemplo.

3 – Controle o que seus filhos fazem na Internet.

Vá até http://fss.live.com, que abrirá o site Family Safety (Proteção para a família), do Windows Live. Clique no botão Iniciar e, a seguir, digite seus dados da conta Windows Live ID (como o correio Hotmail). Escolha a primeira opção e siga as instruções para avançar. Se você não tiver um Windows Live Id pode criar um clicando neste link. Você deverá baixar um programa que lhe permitirá, entre outras coisas, filtrar sites que você não quer que seu filho acesse, bem como monitorar suas atividades em chats, blogs e correio eletrônico. Por sua vez, as crianças terão acesso ao conteúdo dos sites de acordo com as características do perfil que você determina. Além disso, você poderá estar a par desta informação a partir de qualquer PC que esteja conectado à Internet.

4 – Mantenha longe os sites nocivos.

Com um programa gratuito como o K9 você poderá filtrar a informação que entra no PC por meio das 60 categorias nas quais tem conteúdo classificado. Acesse o endereço www.k9webprotection.com e, à direita, clique no botão “Download K9 today”. Isso o levará a uma página na qual você deverá criar uma conta para poder baixar o programa e para que, posteriormente, lhe enviem, por e-mail, uma chave para habilitar a aplicação. O K9 é atualizado o tempo todo, limitando o acesso a sites proibidos.

5 – Ensine-lhes a cultura de Internet.

As crianças devem saber como proteger seus dados pessoais, os da sua família e dos amigos. Ensine-lhes precauções como usar senhas seguras, não compartilhar com estranhos chaves ou dados pessoais (por exemplo, idade, sexo, gostos, rotinas, nome do colégio, endereço da casa etc.), nunca enviar fotos ou vídeos a desconhecidos e utilizar termos adequados em salas de bate-papo.

6 – Evite que seus filhos preencham formulários na Internet.

Os delinquentes informáticos podem criar formulários para que crianças desprevenidas preencham com seus dados. Se seus filhos quiserem preencher qualquer formulário, explique que é melhor que peçam a ajuda de um adulto, para verificar a qualidade do site. Explique claramente o porquê desta providência.

7 – Limite o tempo de uso do computador.

No sistema operacional Windows Vista, por exemplo, você poderá determinar as horas do dia nas quais os seus filhos podem usar o computador e bloquear o restante. No Painel de Controle, selecione “Contas de usuário” e clique em “Configurar Controle dos Pais”. Será solicitada uma senha de administrador, escolha uma e escreva-a. Depois, clique na conta para a qual deseja estabelecer limites de tempo. Em “Controle dos Pais” clique em Ativado e depois em “Limites de tempo”. Escolha então as horas nas quais você permitirá o uso do computador. Em outros sistemas operacionais, os procedimentos são semelhantes. Se tiver dúvidas, peça a ajuda de um técnico.

8 – Crie padrões para o uso da rede.

Estabeleça com seus filhos um acordo para o uso da Internet, o qual fixe direitos e deveres que eles deverão cumprir. No acordo, inclua orientações sobre os locais aos quais eles têm acesso, o que podem fazer neles, quanto tempo estarão conectados, o que fazer se acontecer algo que os incomode e como se comportar de forma ética e responsável em locais dos quais podem participar.

9 – Supervisione as atividades dos seus filhos na rede.

É bom fazer sempre uma revisão dos sites que ele visitou e as conversas que teve em programas de mensagem instantânea. Para ver os locais visitados, no navegador da Internet consulte a opção Histórico, que mostra uma listagem das páginas visitadas nas últimas semanas (isto se não tiverem sido apagadas pelo usuário). Para que as conversas do Messenger fiquem armazenadas, no programa vá ao menu Ferramentas e Opções. Na aba Mensagens, sobre o título “Histórico de mensagens”, ative a caixa de opção “Manter um histórico de minhas conversas automaticamente”.

10 – Navegue com seus filhos.

Navegando juntamente com seus filhos, você poderá lhes mostrar os conteúdos que são apropriados de acordo com sua idade e como eles podem tirar proveito deles, seja para trabalhos escolares, para conhecimento próprio ou simplesmente para brincar. E, sobretudo, explique que a Internet é a extensão da rua onde eles moram para que, diferente de muitos usuários atuais, eles se comportem de maneira educada e respeitosa.

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.