Aprenda novos idiomas da ficção

capa_filme

Tem fã que gosta de usar camiseta com a estampa do seu personagem, série ou filme já outra colecionam objetos, mas para ir além que tal aprender 9 idiomas fictícios!?

Tem língua para todos os gostos.

 

Confira…

  • Klingon – “Jornada nas Estrelas”

James Doohan, o ator que interpretava Scotty, inventou umas palavras e, depois, Marc Okrand se baseou na sua fala para desenvolver toda a língua. Desde então, a linguagem já apareceu em várias outras séries e filmes.

A gramática, o alfabeto e a fonética do klingon não se assemelham a línguas reais. Mas muita gente dedica a vida a estudar o idioma. Existe até um instituto voltado para a divulgação e tradução do klingon.

 

  • Quenya e Sindarin – “O Hobbit” e “O Senhor dos Anéis”

Conhecido também como élfico maduro, o quenya é o idioma élfico mais antigo na Terra Média, algo como o galego-português. J. R. R. Tolkien desenvolveu toda a língua inspirado pela fonética do finlandês, mas isso não significa que quem é fluente nesse idioma consegue entender o quenya. Como precisava de um alfabeto, Tolkien inventou as tengwar e, para representar os sons de vogais, as tehtar.

 

 

 

Um outro idioma que foi bastante desenvolvido para a saga do Anel é o sindarin, uma língua élfica, baseado no galês e chegou a ser a língua mais falada na Terra Média. Você se interessou: existem vários dicionários de élfico. Já foi publicado até um curso de quenya para quem fala português.

 

 

 

 

 

  • Na’vi – “Avatar”

Além de uma biodiversidade fenomenal, um planeta e um povo, James Cameron decidiu criar também uma cultura e um idioma para os alienígenas humanóides de Avatar. Para isso, ele passou a Paul Frommer, professor da University of Southern California, a tarefa de criar um idioma que fosse fácil de falar, mas que não lembrasse línguas reais.

 

 

 

  • Dothraki – “Game of Thrones”/ “Crônicas de Gelo e Fogo”

Se você curte a série “Game of Thrones” e os livros de George R. R. Martin, com certeza já se pegou tentando falar alguma coisa em dothraki, a língua-mãe de Khal Drogo que Daenerys Targaryen teve que aprender. O idioma, como você pode imaginar, surgiu na cabeça de George, mas nos livros há poucas palavras e frases. Embora o idioma seja um dos mais novos da lista, já tem gente aprendendo a se comunicar com o Grande Garanhão.

 

 

  • Novilíngua – “1984”

No livro “1984” de George Orwell, o governo autoritário do Grande Irmão recriou e deletou palavras do inglês para que pudesse controlar o pensamento das pessoas. Teoricamente, uma língua nunca encolheria, já que a tendência natural é cada vez mais vocábulos se juntarem a seu léxico. Mas como essa mudança foi imposta pelo Grande Irmão, faz sentido. Nesse artigo do portal Duplipensar – totalmente dedicado ao livro -, você tem uma boa ideia de como funciona esse novo dialeto. Dá até para tentar aprender.

 

 

  • Simlish – “The Sims”

No universo virtual dos Sims, o simlish é a língua oficial. Para quem ouve, parece que eles não estão falando nada com nada. Mas, por incrível que pareça, existem algumas regras  para que o idioma seja no mínimo coerente. Na hora de criar a fonética do idioma, Will Wright – o pai dos Sims – e Marc Gimbel, um especialista em idiomas, até experimentaram com línguas reais, mas optaram por criar falas que não fazem sentido. Mas é claro que os fãs tentaram decifrar os barulhos dos personagens. Ah, uma curiosidade: a cada atualização e extensão para The Sims, um artista faz uma versão de algum hit em simlish.

 

  • Aklo – Mitos de Cthulhu

O idioma apareceu pela primeira vez no conto “Povo Branco”, de Arthur Machen. As obras do escritor eram carregadas de pitadas de sobrenatural, terror e coisas fantásticas, tanto que acabou influenciando H. P. Lovecraft, hoje lembrado como um dos maiores autores do gênero.

O curioso sobre o aklo é que ele não é apenas um idioma, mas um código que contém magia oculta, por assim dizer. Moore, por exemplo, usa a língua como uma forma de induzir a hipnose.

 

  • Ofidioglossia – Harry Potter

Não poderíamos esquecer a língua oficial dos descendentes de Salazar Sonserina, o fundador da casa mais polêmica da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. A língua que Voldemort Aquele-que-não-deve-ser-nomeado usa para se comunicar com sua serpente de estimação, Nagini, é quase impossível de pronunciar. A única exceção é o próprio Harry Potter, que, como você provavelmente sabe, adquiriu o dom quando um pedaço da alma de Tom Riddle entrou nele.

 

 

 

  • Nadsat – Laranja Mecânica

Em “Laranja Mecânica”, Anthony Burgess criou um modo de falar bem peculiar para seus personagens. As expressões usadas por Alex DeLarge e seu grupo são uma mistura de cockney – o dialeto da classe operária britânica – e russo. A grande inspiração de Burgess para criar o nadsat foram as falas dos mods e dos rockers da década de 1960. Dezenas de dicionários circulam pela internet.

 

 

 

 

E aí? Deu vontade de aprender um idioma novo?

 

Fonte: Super Interessante

One Response

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.