Você sabia que seu corpo enferruja?

Untitled-1

O corpo humano é composto de diferentes tipos de células. As células são compostas de diferentes tipos de moléculas. As moléculas consistem em átomos ligados entre si. Os átomos são formado por núcleos, neutrons, prótons e elétrons.

Aqui o que interessa para nós é que uma molécula é estável quando o número de prótons (carga positiva) é igual ao número de elétrons (carga negativa).

Quando por algum motivo a molécula perde elétrons, ocorre um desequilíbrio de cargas, e surge aí o que chamamos de radical livre, que é uma molécula instável, que vai roubar elétrons da molécula mais próxima, que por sua vez vai fazer o mesmo com outra.

Uma vez que esse processo se inicia, ele pode produzir uma enorme reação em cadeia, que finalmente vai resultar na morte da célula.

A formação de radicais livres é um processo normal no nosso organismo. Muitas vezes as células do nosso sistema imunológico criam os radicais livres para combater vírus e bactérias. Normalmente, aproximadamente 95% do oxigênio que respiramos é neutralizado pela cadeia respiratória celular e os 5% restantes são transformados nos radicais livres.

Os problemas aparecem quando a produção de radicais livres é muito grande (além do normal) e/ou não temos antioxidantes disponíveis no nosso organismo.

Os radicais livres em excesso oxidam – enferrujam –
as células e provocam sua degeneração.

A prática de exercícios físicos está diretamente ligada à produção de radicais livres. Quando fazemos exercícios intensos, há um grande aumento no consumo de oxigênio no corpo. O enorme bombeamento de oxigênio através dos tecidos desencadeia a liberação de radicais livres.

Além dos exercícios, uma dieta pobre em nutrientes, poluição, radiação, fumo, agrotóxicos podem fazer com que o nosso corpo produza muito mais radicais livres do que o normal.

Estudos mostram que os danos produzidos pelos radicais livres são cumulativos ao longo dos anos, e dentre eles podemos citar doenças cardiovasculares, cancer, diabetes, desordens neurológicas (ex.: mal de Parkinson), catarata, artrite e envelhecimento precoce.

Cebolas

Você sabia: As CEBOLAS possuem Flavonóides, que apresentam efeitos potenciais como anti-oxidantes, anti-inflamatório, protetor cardíaco, analgésico, anti-alérgico, anti-cancêr, anti-diabético, anti-úlcera, entre outros. sob o aspecto do efeito anti-oxidante, que pode ser explicado pela doação de um átomo de hidrogênio para os radicais livres, formando novos tipos de radicais livres que não são tão reativos quanto a espécie inicial. Esses radicais desempenham papel importante como, por exemplo, no combate aos microorganismos invasores.

Mas como os antioxidantes podem prevenir os danos gerados pelos radicais livres?

Estudos mostraram que os antioxidantes neutralizam os radicais livres “doando” os seus próprios elétrons, fazendo com que o nosso organismo interrompa o processo de “roubo” de elétrons entre as moléculas.

Os próprios antioxidantes não se tornam radicais livres a partir do momento que doam elétrons porque eles são estáveis de todas as formas. Na verdade eles atuam como um antídoto, ajudando a prevenir danos nas células e nos tecidos.

Os maiores antioxidantes são a vitamina A (beta-caroteno), vitamina C, vitamina E, algumas vitaminas do complexo B, Selênio, Zinco, Lycopene (ou Licopeno), Luteína e Flavonóides e podem ser encontrados nos seguintes alimentos:

ANTIOXIDANTES ALIMENTO
Vitamina A (Beta-Caroteno) Fígado, derivados do leite, ovos, cenoura, abóbora, batata doce, vegetais de folhas verdes (frescas), damasco
Vitamina C Vegetais de folhas verdes (frescas), batatas, frutas cítricas, morango, kiwi, manga, tomate, pimenta, pão branco
Vitamina E Óleo vegetal, fígado, vegetais de folhas verdes (frescas), derivados do leite, grãos integrais, nozes e sementes
Vitamina B Levedura de Cerveja, arroz integral, farinha de soja, pães integrais, cereais, carnes, vegetais de folhas verdes (frescas), feijão
Selênio Frutos do mar, carnes, grãos, vegetais, alho
Zinco Carne vermelha, frutos do mar, peixes, aves domésticas (galinha, perú, pato, etc.), verduras frescas
Licopeno e Luteína Tomates
Flavonóides Vinho tinto, uvas, chá, cebola, soja

Na correria do dia-a-dia, às vezes não conseguimos ingerir alimentos com propriedades antioxidantes na medida necessária. Todos nós sabemos que é muito difícil comer bem fora de casa.

Até mesmo a maneira como o alimento é preparado faz com que ele perca muito de suas propriedades nutricionais. Por exemplo, algumas vitaminas antioxidantes (particularmente a vitamina C) são destruídas quando cozidas em água fervendo (portanto dê sempre preferência a cozinhar os alimentos no vapor).

Por outro lado, o avanço da ciência colocou ao nosso alcance todas essas substâncias antioxidantes sob forma de cápsulas. Hoje em dia já é possível complementarmos a nossa alimentação normal com produtos específicos, denominados Antioxidantes, que tem a função de combater os radicais livres do nosso organismo, prevenindo assim doenças e o envelhecimento precoce.

Algumas fontes de consulta:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Radical_livre
http://www.corpoperfeito.com.br/artigos/artigo.asp?a=20

3 Respostas

  1. Ivanete Lins dos Santos disse:

    Gostei muito de saber que o corpo enferruja, e concordo plenamente, afinal é a máquina mais perfeita que existe no mundo.
    Abraços

  2. Henrique disse:

    A despeito da Ivanete,
    eu naum gostei nem um pouco de saber q o corpo enferruja,
    e discordo completamente,
    naum gosto da idéia

Deixe um Comentário

Proudly designed by Clickmidia.